Cultura de Aprendizagem Empreendedorismo Futuro do Trabalho

Práticas ESG: o que são e como aplicá-las na sua empresa

Tempo de leitura: 7 minutos

Até o final de 2022, 77% dos investidores institucionais planejam parar de comprar produtos de empresas que não aplicam práticas ESG, de acordo com um relatório da PwC.  A sua empresa tem um ano para começar essa transformação.

Por Maria Clara Ramos

A experiência de consumo está sendo transformada em todo o mundo e ter um bom produto já não é suficiente na decisão de compra para um cliente. No Brasil e no mundo, o que percebemos é uma tendência de consumo consciente, onde por um lado, clientes cada vez mais  optam por empresas que defendem causas sociais e de sustentabilidade, e por outro, as empresas cada vez mais  comprometidas a executar essas práticas.

A sua marca não é mais só o seu produto e a qualidade dele e sim a história que você conta com ela e seus produtos e o que eles agregam para alguém e para o mundo.

Uma pesquisa realizada pela Union+Webster mostra que 87% dos brasileiros preferem comprar de empresas sustentáveis e 70% não se importam em pagar a mais por isso. Mais do que apenas um produto, o que se quer hoje de uma empresa é a adoção de melhores práticas ambientais, sociais e de governança (que compõem a sigla em inglês ESG). Um estudo realizado pelo The Boston Consulting Group mostra que companhias com boas práticas nesses campos, além de terem resultados melhores, também podem ser critério de escolha para investidores. 

Na última semana, a Forbes Brasil  selecionou 7 startups que são grandes aliadas das empresas  na implementação de práticas ESG, oferecendo soluções ágeis ,baratas, escaláveis e de alto impacto.  Entre os segmentos de diversidade, incentivo fiscal, automação e análise, a  Witseed é a única edutech presente na lista, uma honra para nós fazer da Educação Contínua um pilar tão importante para essas práticas! E é por isso que, neste artigo, vamos apresentar o que são práticas ESG, porque esse adotar essa prática pode transformar o seu negócio e como algumas empresas podem ser importantes aliadas nesse processo. 

 O que são práticas ESG? 

ESG é uma abreviação para os termos em inglês environmental, social and governance, e se refere à adoção de critérios ambientais, sociais e de governança. Apesar de ser um tema em alta na mesa dos executivos em 2021, o termo surgiu em 2004 em uma publicação do Banco Mundial em parceria com o Pacto Global da Organização das Nações Unidas e instituições financeiras de 9 países. Vamos entender o que cada tema da sigla significa na prática: 

  • Environmental (Ambiental): 

Esse primeiro tópico foca em como a empresa pode contribuir com a redução de impactos ambientais e como ela se preocupa com questões como aquecimento global, emissão de carbono, poluição e etc.

Em reportagem recente (julho 2021), a Forbes mostrou que  82% dos brasileiros preferem escolher empresas que tenham práticas sustentáveis. 

  • Social (Social):

O pilar social se refere a ações sociais que contribuem para um  bom ambiente de trabalho e um bom relacionamento com associados, colaboradores e clientes. 

Uma empresa com boas práticas sociais é aquela que reconhece seus colaboradores, desenvolve pessoas, oferece melhorias na qualidade de vida, equidade de oportunidades, auxílios, benefícios,  promove diversidade e incentiva o trabalho voluntário.

A parte social das empresas é um dos requisitos mais importantes para se ter uma boa imagem no mercado. Crises relacionadas a esse tema podem gerar prejuízos gigantescos para as companhias e até  queda nas ações.

  • Governance (Governança):

Trata-se de como a companhia adota práticas de gestão corporativa e governança. A governança corporativa é de extrema importância para o bom funcionamento da empresa, incluindo código de conduta, compliance, diversidade,  ética e transparência  no conselho administrativo ou em outros órgãos corporativos. 

A publicação lançada há 17 anos estabeleceu as bases do investimento sustentável que hoje bate à porta do mercado com urgência. O impacto da pandemia sobre as pessoas ajudou a reforçar o comprometimento ético e de inclusão social como uma tendência, e tornou essa discussão ainda mais relevante, revelando que ações e omissões individuais ou de pequenos grupos podem ter um grande impacto no coletivo.

Prova disso é que as marcas mais lembradas e bem vistas pelos brasileiros durante a pandemia estão relacionadas especialmente ao impacto positivo que os entrevistados tiveram a partir de ações e comunicações dessas empresas e não necessariamente relacionadas aos  seus produtos, de acordo com uma pesquisa do Instituto Croma Insights.

Ao mesmo tempo, empresas que tentaram lucrar com práticas sociais temporárias ou falsas,na pandemia, acabaram de vez com a sua reputação. As pessoas querem confiar nas marcas e na era da informação não há  mais espaço para não praticar o que se está falando, isso é facilmente desmascarado. O consumidor quer saber a postura e não só o posicionamento da marca.

Eliminando o Greenwashing na prática

O termo Greenwashing, ou “maquiagem verde” consiste em promover discursos e campanhas publicitárias com características ecologicamente responsáveis mas que, na prática, não acontecem. Com a intenção de relacionar a imagem da marca à defesa do meio ambiente, muitas empresas se apropriam de certos discursos para vender produtos que se dizem sustentáveis, mas que na verdade não passam de propaganda enganosa.

Esse não é um posicionamento incomum: uma pesquisa realizada em 2018 pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), analisou mais de 500 embalagens de produtos de higiene, limpeza e utilidade doméstica para verificar a prática do Greenwashing. A pesquisa mostra que quase metade (48%) das embalagens apresentam informações falsas sobre a responsabilidade ambiental!

Fonte: Funverde

         

O conceito ESG não vem acompanhando da palavra práticas à toa. Mais do que um simples discurso ou estratégias maldosas de marketing, empresas que se comprometem com práticas ESG estão dispostas a criar medidas efetivas de minimização dos problemas ambientais e sociais. A proliferação de fundos ESG na Europa e a crescente conscientização da população em torno do assunto permitem uma maior fiscalização quanto ao cumprimento do “selo verde”. 

Além disso, um estudo realizado pela Ágora Investimentos concluiu que a adoção de uma agenda ESG também traz diversos impactos positivos para a empresa, como:

  • Vantagens competitivas
  • Melhoria de reputação
  • Maior lucratividade
  • Aumento do valuation ao longo do tempo.

Práticas ESG cativam investidores

O amplo conceito de propósito e engajamento social tem ganhado novos traços com a pandemia, e influenciado cada vez mais os consumidores e os investidores a escolherem marcas que apoiem causas e tenham direcionamentos de menor impacto. 


A PwC prevê que os fundos de ações ESG terão uma taxa de crescimento anual composta de 26,8%, e os ativos devem quadruplicar, para mais de 3,6 trilhões de euros até 2025. “ESG é nada menos do que uma mudança abrangente no cenário de investimentos, que coloca os critérios de desempenho financeiro e não financeiro em condições de igualdade”, disse a PwC em um relatório publicado em 2020. 

Como startups se tornaram grandes facilitadoras de práticas ESG

Por mais que a agenda ESG já faça parte das discussões dos executivos, a prática, no entanto, não é tão facilitada, e o risco de ideias e discussões não se tornarem ações é muito alto. Atentas à essa necessidade, as empresas perceberam que é mais estratégico e mais econômico fazer parcerias com startups que solucionem esse problema, do que desenvolver soluções internamente. 

É diante desse cenário que as startups que oferecem metodologia para acelerar processos e tecnologia para escalar soluções, tendem a ser protagonistas e se destacam na implementação de práticas ESG em diferentes negócios – são as chamadas ESG Enablers. Na última década, o volume investido em ESG Enablers, startups que levam os pilares ambiental, social e de governança para dentro das empresas, já passa de US$ 1 bilhão no Brasil, de acordo com o relatório Inside ESG Tech Report.

O motivo de tanto interesse é claro: a transição para uma economia circular, com estratégias sustentáveis e socialmente inclusivas depende de algo que é primordial para startups: testar e implementar processos ágeis. 

Na semana passada, a Forbes Brasil publicou uma matéria listando 7 startups aliadas na implementação de práticas ESG no ecossistema brasileiro, são elas: Moss, Trashin, Inventiv.me, Witseed, Gofriendly, DataRisk e Neoway. Diante dos critérios ambientais, sociais e de governança, essas empresas oferecem soluções leves, baratas e atuam diretamente na gestão de projetos de impacto, assim como em questões éticas e de transparência.

Como a Witseed pode ser uma forte aliada da sua empresa na jornada ESG?

Ser a única Edutech listada pela Forbes Brasil é uma honra e ajudar outras empresas a se desenvolverem por meio da educação é transformador. É importante deixar claro que, em um ritmo cada vez mais acelerado de mudanças, será cada vez mais difícil encontrar profissionais classificados como prontos. A Educação contínua ajuda empresas a desenvolver em seus profissionais, as habilidades necessárias para atingir os melhores resultados, contribuindo para que as companhias se tornem cada vez mais competitivas. Essa é uma das razões que impulsionam os investimentos em Educação Corporativa

A educação também impulsiona práticas sociais no universo corporativo, oferecendo equidade de oportunidades, refletindo sobre lideranças responsáveis, priorizando o bem-estar e pensando na experiência dos colaboradores. Com propósito e engajamento no Social por meio da educação, a Witseed acelera o desenvolvimento de práticas ESG nas maiores empresas do Brasil e em larga escala.

Nós combinamos conhecimentoentretenimento, cultura digitaldesenvolvimento contínuo, revolucionando a experiência da Educação Corporativa. Nossos cursos são ministrados por experts com técnicas de Storytelling e Microlearning, atingindo maior engajamento e melhores resultados. 

Além disso, a nossa plataforma utiliza as mais avançadas tecnologias de  Inteligência Artificial para personalizar e potencializar a experiência de aprendizagem e  analytics para que os gestores acompanhem todo o progresso das suas equipes.

 Witseed + SulAmérica nas práticas ESG 

Fonte: Relatório SulAmérica

O Grupo SulAmérica Seguros aparece como pioneiro no desenvolvimento e na implementação de práticas ESG, desde 2009, quando se tornou uma das primeiras gestoras independentes brasileiras a ser signatária do PRI – Principles For Responsible Investment. Em março deste ano, a empresa divulgou um relatório com uma retrospectiva do ano de 2020 e a Witseed foi citada como uma das empresas colaboradoras estratégicas para os bons resultados obtidos, transformando demandas em soluções de aprendizagem. 

Dando seguimento a essa parceria incrível e de longa data, este ano estamos construindo um projeto personalizado para reforçar e ampliar a importância de práticas e indicadores ESG, ajudando a divulgar todo o plano de ação para a evolução do tema. Dando um super spoiler, o nosso projeto termina com a seguinte mensagem aos colaboradores: “Pensar nesse tema não é só pensar em ganhos econômicos ou nos valores socioambientais, mas principalmente garantir a segurança e a nossa existência no futuro.”

Witseed +  Natura nas práticas ESG 

Fonte: Natura & Co

Outra empresa brasileira referência em práticas sustentáveis, que temos orgulho em ter como nossa cliente é a Natura & Co! Além de ajudar a implementar a aprendizagem contínua dentro da organização, a Witseed também produz trilhas personalizadas para reforçar a cultura e importância de práticas ESG dentro da empresa. 

A Natura foi nomeada pela XP Investimentos como uma das 10 empresas com melhores ratings de ESG dentro da sua cobertura.Desde a produção de cosméticos naturais e selos de cruelty free, à priorização de pautas como diversidade e inclusão na construção da sua equipe, a Natura apresenta-se como um grande exemplo e mostra que é possível fazer negócios gerando impactos sociais e ambientais positivos.

Empresas referências em ESG no Brasil e no mundo

A revista Exame publicou, em maio deste ano, o ranking “Melhores do ESG”, selecionando empresas premiadas nesta categoria. É uma honra para a Witseed ter alguns clientes entre as empresas citadas, como Natura e Klabin! 

Veja algumas empresas listadas:

  • Natura
  • Mercado Livre
  • Boticário
  • Suzano
  • Klabin
  • Santander
  • Dow
  • Totvs
  • Itaú 
  • Vivo

Dá uma olhada nesse vídeo que explica exatamente como fazemos a diferença de verdade dentro das empresas! Com  Bruno Leonardo, CEO e Fundador da Witseed. 

Nesse episódio do nosso podcast com o Gustavo Brito, gerente de Educação Corporativa do grupo Boticário, falamos um pouco mais o papel social e estratégico da Educação Corporativa, clica aí para ouvir!

WITSEED | REVOLUCIONANDO A EXPERIÊNCIA DA EDUCAÇÃO CORPORATIVA 

Produzimos cursos digitais inovadores, conectados com os desafios atuais do mercado, ouvindo executivos referência no tema. Acesse nosso site para saber mais e solicite uma demonstração:

http://www.witseed.com

%d blogueiros gostam disto: